Exame médico

Sim, vamos voltar com o blog. Tava com preguiça dele porque a auto-escola me empreguiçou pro resto da vida, mas eu ainda quero ter um registro do andamento do projeto :) Vamo lá!

Pra quem ainda não sabe, psicotécnico não se chama mais psicotécnico: agora é “exame médico e avaliação psicológica”. E não, não é a mesma coisa. A burocracia pra essa etapa é quase zero. Você entra no site do Detran, imprime o boleto e aparece na clínica. Pronto! Sem auto-escola, sem complicação, sem fila, sem encheção de saco.

Na sala de espera da clínica, a psicóloga me chama. Eu entro na sala dela e uma mulher absurdamente mal educada me recebe. Sério, eu não entendi. Deu vontade de dizer “olha aqui, minha filha, não precisa falar comigo assim, não”. Não sei que tipo de pessoa tem feito esse exame com ela, mas eu nã estou acostumada a ser mal tratada. Ainda mais quando estou pagando 70 reais por isso. Mas, né?, ela tinha o poder de me aprovar ou não, e eu achei melhor ficar calada e engolir esse sapo. Mas que eu fiquei puta, ah!, eu fiquei.

Primeiro rola uma entrevista. “Dormiu bem? Tem algum problema de saúde? Já fez tratamento psiquiátrico? Bebe bebidas alcoolicas? Faz ou já fez uso de substâncias entorpecentes?” Quem, em sã consciência, vai dizer que faz ou já fez uso de drogas num exame psicológico?! Eu não uso nada, mas já estive no carnaval carioca, já estive em Amsterdã, já fui universitária, então sabe como é… “Não, senhora. Nunca.”

A gente vai pra Amsterdam porque quer ver o museu do Van Gogh, lógico!

Muito bem. O primeiro exame é o exame de atenção concentrada. Eu já tinha feito um desses duas outras vezes, pra seleção de estágio, e contei isso pra psicóloga. Falei que achava difícil e tal (e acho mesmo), então ela disse que me daria um minutinho a mais pra terminar. Vocês conhecem esse exame?! É MUITO chato. Se você desvia o pensamento por meio segundo, você perde o bonde da parada. Quando eu fiz esse teste pra estágio, ele foi bem aplicado, a psicóloga controlava o tempo de marcação de cada linha, rolava uma pressão e tal. Eu nem conseguia terminar as linhas direito, era bem difícil (mas passei pro tal estágio, se é que isso interessa). No exame pro Detram foi beeeeeem light. Eu tive bastante tempo, e não só deu pra terminar a folha toda, como também deu tempo pra REVISAR meu teste! Eu imagino que isso deve invalidar o teste, mas foda-se, a mulher saiu da sala, eu tinha tempo, revisei mesmo.

Depois, aquele poço de educação e gentileza me aplicou um teste de coordenação motora muito chato. Mão direita, mão esquerda, as duas ao mesmo tempo, pra cima, pra baixo, espiral, ziguezague, linha reta, etc. etc. etc. Tudo acompanhado por gritos (juro!): “MANTÉM O LÁPIS RETO! JÁ FALEI PRA ABRIR O BRAÇO! VAI ALTERAR O RESULTADO, FICA COM A MÃO RETA!!!”. Putaquepariu, eu queria dar um soco naquela cara gorda! Odeio quando gritam comigo, odeio! Eu não grito com ninguém desse jeito, muito menos com estranhos e menos ainda com clientes! Louca. Como se eu não estivesse pagando 70 e tantos reais pr’aquilo. E foi isso. Pra quem não sabe, não tem mais o tal do simulador, ou algo assim, que tinha antigamente.

Saí puta da sala da psicóloga direto pra sala da médica. Novinha, bonita, provavelmente recém-formada fazendo algum dinheiro. Mas nota-se logo que se acostumou a lidar com um monte de gente tosca. Não me deu a menor atenção e fazia um discurso decorado enquanto mandava um SMS no celular (!): “Tem algum problema de saúde? Já passou por cirurgia? Diabetes? Hipertensão?” Olhou minha pressão e perguntou se eu usava óculos. Eu uso lentes, mas desconfio que se não tivesse falado nada, ela nem teria notado. Agora na minha carteira vai vir escrito “necessário uso de lentes corretivas” ou algo do tipo. Li meia dúzia de letrinhas pequenas, enxerguei verde, enxerguei vermelho e pronto. Foram menos de 10 minutos por 40 e poucos reais.

Quando saí da sala da médica, passei na recepção e a menina me avisou que eu tinha sido aprovada no teste psicológico. Que bom. Ser reprovado nisso é meio humilhante, né? Eu não sou doida, tem um monte de imbecil que é aprovado nisso, porque eu não seria?!

Eu saí de casa às 13h30 pra imprimir o boleto do Detran e às 16h30 já estava no aconchego do meu lar com o primeiro exame pronto. A agilidade do processo me surpreendeu positivamente. Mas, claro, tava bom demais pra ser verdade. Logo depois descobri que o resto não seria assim tão lindo, ainda mais quando algo depende de recepcionistas teens com baixo QI. Paciência. 45 horas/aula de legislação de trânsito me aguardavam.

Anúncios

A escolha da auto-escola

E aí que eu decidi que vou aprender a dirigir. Não que eu faça questão, afinal eu nasci foi pra ser madame e ter motorista à disposição, mas aparentemente essa habilidade é muito valorizada pelo mundo – especialmente pelo mundo das pessoas que não têm motoristas à disposição, como é o caso do meu mundo. Decisão feita, comecei a execução do projeto Nasci pra Dirigir.

Comecei perguntando meus amigos colé desse negócio de auto-escola. O que todo mundo disse foi: “não faz diferença”. O que possivelmente faria diferença seria um bom instrutor pras aulas práticas, mas como ninguém tinha algum pra me indicar, a minha auto-escola foi escolhida na internet: peguei a que tinha o melhor custo-benefício em relação aos quesitos preço e localização. E aqui perto de casa tem uma auto-escola muito, muito barata. Tá, não é muito, muito barata porque nada nessa máfia da permissão pra dirigir é muito, muito barato, mas definitivamente é das mais baratas da cidade. Então pronto. Escolha da auto-escola: ok!

Esse negócio de tirar carteira é engraçado. Você chega na auto-escola e é como se todo mundo nascesse sabendo o que é preciso fazer. A tia bigoduda (que será personagem recorrente neste blog) não me explicou nada, e desandou a falar de preços e taxas e etapas e provas e… Olha aqui, minha senhora! Eu nunca tirei carteira antes, eu não trabalho no Detran, eu não sou sócia de auto-escola nenhuma, então porque cargas d’água eu deveria saber dessas coisas?!  Calma lá. Me explica como é que a coisa funciona. Mas me explica de um jeito lógico e coerente, porque eu não fui alfabetizada em resmunguês, não.

tia bigoduda

Uma ilustração da tia bigoduda da auto-escola.

Obviamente, isso era pedir demais.

(Pequena teoria sobre auto-escolas: dirigir é um negócio que todo mundo faz e todo mundo consegue. Homens, mulheres, idiotas, analfabetos, ricos, pobres, inteligentes, anoréxicos, frescos, espertos, carecas, doutores, atletas, disléxicos… Auto-escola é um lugar frequentado por gente de todo tipo. E isso não é exagero. De modo que a distribuição de pessoas na auto-escola é a mesma da sociedade em geral: 98% de completos imbecis e algum caso isolado e pontual de gente minimamente articulada. Guardem essa informação, ela será importante mais tarde.)

A tia bigoduda então está acostumada a ser bem sucedida na sua comunicação em resmunguês com 98% dos clientes. Eu não entendi patavinas do que aquela senhora disse, e não insisti. Em algum lugar alguém um pouco mais esperto deve ter disponibilizado essas informações de maneira mais compreensível. Mas uma coisa eu entendi: a primeira coisa  a fazer era o exame médico e psicológico. E para isso eu deveria pagar uma taxa de 60 reais na auto-escola e depois eles me marcariam um dia pra fazer esses exames e lá na clínica eu pagaria mais 113 reais. Tá bom, tia. Eu volto aqui depois.

O projeto NpD terá um tempo de execução de 3 meses. Eu não posso me dar ao luxo de demorar 10 dias – tempo que a tia bigoduda me deu – pra fazer uma porcaria de um exame psicológico. Duvidando da informação dada, cheguei em casa, pesquisei por uma solução mais rápida e descobri que eu poderia fazer o exame rapidinho, por minha conta e – pasme! – pagando menos. Eu posso 1) pagar 60 reais para a tia da auto-escola e demorar 10 dias para fazer o psicotécnico ou 2) pagar 40 reais para o Detran e fazer o exame na hora. PERAÍ. Então quer dizer que a auto-escola me cobra 20 reais para ATRASAR o meu exame?! Fala sério.

vinte reau no lixo

Vinte reau no lixo, meu amigo.

Às 13h de um dia de semana eu entrei pela primeira vez no site do Detran-MG. Às 16h30 do mesmo dia eu já estava em casa com exames médico e psicológico feitos e com a matrícula nas aulas de legislação na auto-escola confirmada. Como?! Assunto do próximo post.